Republicanismo adjetivado: as dimensões aristocrática e democrática nos discursos da campanha presidencial brasileira de 2006

  • Marcia Ribeiro Dias PUC/RS

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar a natureza dos discursos políticos dos dois principais candidatos à presidência do Brasil em 2006, tomando como fonte primordial a campanha veiculada no Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral. Parte-se aqui de uma concepção teórica clássica que divide o discurso republicano em duas correntes: a dos partidários da restrição e a dos partidários da ampliação da participação política nos negócios do Estado. A primeira corrente utiliza-se do argumento técnico, do saber especializado como elemento central do bom desempenho governamental. A segunda sustenta-se no argumento político de que o bom governo depende do aprofundamento da democracia através da participação política e do atendimento prioritário às camadas mais necessitadas da população. Pretendo demonstrar como as campanhas de Geraldo Alckmin (PSDB) e de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se apropriaram dos referidos discursos através do investimento nos votos retrospectivo e prospectivo dos eleitores brasileiros.

Publicado
2012-08-26
Como Citar
Dias, M. (2012). Republicanismo adjetivado: as dimensões aristocrática e democrática nos discursos da campanha presidencial brasileira de 2006. Compolítica, 2(1), 29-60. https://doi.org/https://doi.org/10.21878/compolitica.2012.2.1.24
Seção
Artigos