Estratégias discursivas da Mídia Ninja no caso do habeas corpus (não) concedido ao ex-presidente Lula

  • Raul Ramalho Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Kênia Maia Universidade Federal do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Mídia Ninja, Lula, Análise do Discurso

Resumo

Este artigo analisa a produção de sentido do coletivo Mídia Ninja, na sua página no Facebook, no que diz respeito ao habeas corpus concedido (e depois negado) ao ex-presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 8 de julho de 2018. O trabalho utiliza como metodologia a Análise de Discurso baseada no modelo tridimensional de Fairclough (2001). A pesquisa problematiza o caráter midiativista da Mídia Ninja, ao concluir que o grupo atuou a favor de libertação de Lula, a partir de uma narrativa centralizada e multimidiática (textos escritos, fotos, charges, vídeos e emissões ao vivo) aliada a uma estratégia discursiva contra-hegemônica, elegendo adversários (a exemplo do juiz Sérgio Moro) e heróis (como Lula e o então pré-candidato à presidência, Guilherme Boulos), e apontando a situação como parte de um golpe articulado pela mídia tradicional e por setores das classes política e judiciária.

Biografia do Autor

Raul Ramalho, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mídia (PPGEM), pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), onde também faz parte do grupo de pesquisa Marginália. Doutorando no Curso de Doutoramento em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior (Portugal), através do programa Doutorado Sanduíche da Capes. É mestre em Jornalismo pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), especialista em Mídia e Assessoria de Comunicação pelo Centro de Educação Superior Reinaldo Ramos (Cesrei) e graduado em Comunicação Social - habilitação em Jornalismo - pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Kênia Maia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Possui graduação em Comunicação Social - Habilitação Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás (1987) e doutorado em Ciência da Informação e da Comunicação - Université de Metz, atual Université de Lorraine (2003). É Professora Associado III da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, sendo docente também doPrograma de Pós-Graduaçãoem Estudos da Mídia (PPGEM) nesta universidade. Fez estágio pós-doutoral no CECS, da Universidade do Minho. Na Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo, foi conselheira administrativa (2005 a 2009), diretora administrativa (2009 a 2011) e vice-presidente (2011 a 2013). 

Referências

ALMEIDA, Thiago D’Angelo Ribeiro. Midiativismo e cobertura jornalísticas: mídia Livre, movimentos em rede e estratégias de contrapoder. 2015. 165f. Dissertação (Mestrado Profssional em Jornalismo) – Centro de Comunicação Turismo e Artes, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015. Disponível em: . Acesso em 14 de maio de 2017.

BAITELLO JÚNIOR, Norval. A era da inconofagia: reflexões sobre a imagem, comunicação, mídia e cultura. São Paulo: Paulus, 2014.

______; RAUD, Rein. A individualidade numa época de incertezas. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

BENTES, Ivana. Mídia-Multidão: estéticas da comunicação e biopolíticas. Rio de Janeiro: Mauad X, 2015.

BEZERRA, Ada Késea Guedes. O mito Lula: política, discursos e cenário midiático. 2011. 334f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Centro de Humanidades, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2011.

BOSCO, Francisco. A vítima tem sempre razão? Lutas identitárias e o novo espaço público brasileiro. São Paulo: Todavia, 2017.

BRAIGHI, Antônio Augusto. Análise do discurso midiativista: uma abordagem às transmissões simultâneas do Mídia Ninja. 2016. 654f. Tese (Doutorado em Linguística do Texto e do Discurso) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2016.

______; CÂMARA, Marco Túlio. O que é Midiativismo? Uma proposta conceitual. In: BRAIGHI, Antônio Augusto; LESSA, Cláudio; CÂMARA, Marco Túlio (orgs.). Interfaces do Midiativismo: do conceito à prática. CEFET-MG: Belo Horizonte, 2018. p. 25-42. Disponível em: . Acesso em 15 de julho de 2018.

BUCCI, Eugênio. Sobre ética e imprensa. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. 2. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis: Vozes, 2006.

COSTA, Caio Túlio. Ética, jornalismo e nova mídia: uma moral provisória. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

DI FELICE, Massimo. Net-ativismo: da ação social para o ato conectivo. São Paulo: Paulus Editora, 2017.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001.

FAUSTO NETO, Antônio. Transformações do jornalismo na sociedade em vias de midiatização. In: FAUSTO NETO, Antônio; FERNANDES, José David Campos (Orgs). Interfaces jornalísticas: ambientes, tecnologias e linguagens. João Pessoa: Editora da UFPB, 2011. p. 14-34.

FOLETTO, Leonardo Feltrin. Um mosaico de parcialidades na nuvem coletiva: rastreando a Mídia Ninja (2013 – 2016). 2017. 224f. Tese (Doutorado em Comunicação e Informação) – Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017. Disponível em: . Acesso em 09 de março de 2018.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

HAJVARD, Stig. Midiatização: conceituando a mudança social e cultural. Matrizes, São Paulo, v. 8, nº 1, p. 21-44, 2014. Disponível em: . Acesso em: 22 de abril de 2017.

HOMERO. Odisseia. Tradução: WERNER, Christian. São Paulo: Cosac & Naify, 2014.

LEAL, Mayra; MARTINS, Elaide. Entre o ativismo midiático e o jornalismo: os valores-notícia e as práticas produtivas nas narrativas da Mídia Ninja. In: BRAIGHI, Antônio Augusto; LESSA, Cláudio; CÂMARA, Marco Túlio (orgs.). Interfaces do Midiativismo: do conceito à prática. CEFET-MG: Belo Horizonte, 2018. p. 533-553. . Acesso em 15 de julho de 2018.

LÉVY, Pierry. A esfera pública do século XXI. In: DI FELICE, Massimo; PEREIRA, Eliete; ROZA, Erick (Orgs.). Net-ativismo: redes digitais e novas práticas de participação. Campinas, SP: Papirus, 2017. P. 29-38.

MAINGUENEAU, Dominique. Discurso e análise do discurso. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

MALINI, Fábio; ANTOUN, Henrique. @ internet e #rua: ciberativismo e mobilização nas redes sociais. Porto Alegre: Sulina, 2013.

MALINI, Fábio. Como o discurso de ódio amplia a viralidade do noticiário político no Facebook. Laboratório de estudos sobre imagem e cibercultura, 2017. Disponível em: . Acesso em: 12 de janeiro de 2018.

MÍDIA NINJA. Quem somos. Disponível em: . Acesso em: 12 de agosto de 2018.

PARISER, Eli. O filtro invisível: o que a internet está escondendo de você. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

PRADO, Magaly. Ciberativismo e noticiário: da mídia torpedista às redes sociais. Rio de Janeiro: Alta Books, 2015.

RAMONET, Ignacio. A explosão do jornalismo: das mídias de massa à massa de mídias. São Paulo: Publisher Brasil, 2012.

RECUERO, Raquel. Redes Sociais na internet, difusão de informação e jornalismo: elementos para discussão. In: SOSTER, Demétrio de Azevêdo; SILVA, Fernando Firmino da. (Orgs.). Metamorfoses jornalísticas 2: a reconfguração da forma. Santa Cruz do Sul: UNISC, 2009. p. 39-55. Disponível em: . Acesso em 18 de setembro de 2018.

______. Introdução à análise de redes sociais. Salvador: EDUFBA, 2017. Disponível em: . Acesso em 25 de fevereiro de 2018.

RODRIGUES, Cláudia; BARONI, Alice. Ethos jornalístico: Mídia Ninja e um campo em contestação. Brazilian Journalism Research, Brasília, v. 14 – nº 2, p. 568-593, 2018. Disponível em: . Acesso em: 02 de setembro de 2018

RODRIGUES, Chris. O cinema e a produção. Para quem gosta, faz ou que fazer cinema. 3.ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

SILVA, Fernando Firmino da; RODRIGUES, Adriana Alves. Jornalismo em mobilidade: redes sociais e cobertura dos protestos “ao vivo” e da rua. In: BARRETO, Emília et al. (orgs.). Mídia, tecnologia e linguagem jornalística. João Pessoa: Editora do CCTA, 2014, p. 26-43.

ZEN, Daniel. Entenda o habeas corpus expedido para Lula. 2018. Disponível em: . Acesso em: 12 de agosto de 2018.

Yin, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.
Publicado
2019-05-30
Como Citar
Ramalho, R., & Maia, K. (2019). Estratégias discursivas da Mídia Ninja no caso do habeas corpus (não) concedido ao ex-presidente Lula. Compolítica, 9(1), 79 - 106. https://doi.org/https://doi.org/10.21878/compolitica.2019.9.1.244