Bolsonaro x Haddad

A configuração da disputa de sentidos a partir de estratégias discursivas presentes na fanpage dos candidatos durante a campanha à presidência

  • Juçara Gorski Brittes Universidade Federal de Ouro Preto
  • Dayana Cristina Barboza Carneiro Universidade Federal de Minas Gerais
  • Ana Luísa Ruggieri Universidade Federal de Ouro Preto
Palavras-chave: Política, Disputa de sentidos, Estratégias discursivas, Fanpage, Redes sociais digitais

Resumo

Este artigo traz uma investigação sobre o modo como os candidatos Bolsonaro e Haddad protagonizaram uma disputa de sentidos em suas fanpages a partir da utilização de diferentes estratégias discursivas durante a campanha à presidência em 2018. Para tanto, aborda, na parte teórica, a inclusão das redes sociais nas campanhas políticas bem como o conceito de estratégias discursivas, fundamental para o desenvolvimento metodológico da pesquisa. Em seguida, por meio de uma análise do discurso, depreende que os candidatos reforçaram a polarização característica das últimas eleições e utilizaram, como principal estratégia, o reforço à diferença como forma de buscar a adesão dos usuários/eleitores e, consequentemente, alcançar a vitória no pleito eleitoral.

Biografia do Autor

Juçara Gorski Brittes, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutora em Ciências da Comunicação pela ECA/USP e professora aposentada da Ufop.

Dayana Cristina Barboza Carneiro, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Comunicação Social pela UFMG e mestre em Comunicação pela Ufop.

Ana Luísa Ruggieri, Universidade Federal de Ouro Preto

Mestre em Comunicação e graduada em Jornalismo pela Ufop.

Referências

AGGIO, C.; REIS, L. Campanha eleitoral no Facebook: usos, configurações e o papel atribuído a esse site por três candidatos eleitos nas eleições municipais de 2012. In: Revista Compolítica, vol. 2, n. 3, jul./dez. 2013.
ARAÚJO, R. F.; TRAVIESO-RODRÍGUEZ, C.; SANTOS, S. R. de O. Comunicação e participação política no Facebook: análise dos comentários em páginas de parlamentares brasileiros. In: Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, vol. 27, n. 2, p. 279-290, mai./ago. 2017.
BERTONI, E. Haddad diz que vai até enfermaria para debater com Bolsonaro. In: Veja (on-line), 10 out. 2018. Disponível em: https://veja.abril.com.br/politica/haddad-diz-que-vai-ate-a-enfermaria-para-debater-com-bolsonaro/. Acesso em: 20 fev. 2019.
CHARAUDEAU, P. Identidade social e identidade discursiva, o fundamento da competência comunicacional. 2009. Disponível em: http://www.patrick-charaudeau.com/spip.php?-page=imprimir_articulo&id_article=243. Acesso em: 30 jan. 2019.
CHARAUDEAU, P. Uma teoria dos sujeitos da linguagem. In: MARI, H. et al. Análise do discurso: fundamentos e práticas. Belo Horizonte: Núcleo de Análise do Discurso - FALE/UFMG, 2001.
CIOCCARI, D.; PERSICHETTI, S. Armas, ódio, medo e espetáculo em Jair Bolsonaro. In: Revista AlterJor, ano 9, vol. 2, ed. 18, jul/dez, 2018.
DIAS, C. P. A discursividade da rede (de sentidos): a sala de bate-papo HIV. 2004. 176f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas. Campinas: Unicamp, 2004.
FRAZÃO, F. Bolsonaro recebe apoio de líderes evangélicos. In: Estadão (on-line), 01 out. 2018. Disponível em: https://politica.estadao.com.br/noticias/eleicoes,bolsonaro-recebe-apoio-de-lideres-evangelicos,-70002527014. Acesso em: 20 fev. 2019.
G1. Em Cuiabá, Bolsonaro se diz contra terra para índios e cota para negros. In: G1 (on-line), 13 nov. 2015. Disponível em: http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2015/11/-em-cuiaba-bolsonaro-se-diz-contra-terra-para-indios-e-cota-para-negros.html. Acesso em: 20 fev. 2019.
KLEIN, C. Alckmin terá tempo de TV 39 vezes maior que o de Bolsonaro. In: Valor Econômico (on-line), 05 ago. 2018. Disponível em: https://www.valor.com.br/politica/5713073/-alckmin-tera-tempo-de-tv-39-vezes-maior-que-o-de-bolsonaro. Acesso em: 22 jan. 2019.
MACHADO, I. L. Algumas reflexões sobre elementos de base e estratégias da Análise do Discurso. In: Revista de Estudos da Linguagem. Belo Horizonte, vol. 20, n. 1, p. 187-207, jan./jun. 2012.
MASSUCHIN, M. G.; TAVARES, C. Q. Campanha eleitoral nas redes sociais: estratégias empregadas pelos candidatos à presidência em 2014 no Facebook. In: Revista Compolítica, vol. 5, n. 2, 2015.
MASSUCHIN, M. G.; LIMA, D. S.; SOUSA, S. G.; SOUSA, N. N. Campanha online em disputas locais: um estudo das apropriações do Facebook pelos candidatos nas eleições de 2016. In: Revista fronteiras – estudos midiáticos, vol. 20, n. 1, jan./abr. 2018.
MOREIRA, V. L.; BASTOS, G.; ROMÃO, L. M. S. Discurso homofóbico em blogs: tessituras da violência e(m) rede. Calisocópio, vol. 10, p. 161-170, 2012.
ORLANDI, E. P. Análise do Discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes Editores, 2012.
ROSSINI, P. G. C.; BAPTISTA, E. A.; OLIVEIRA, V. V. de; SAMPAIO, R. C. O uso do Facebook nas eleições presidenciais brasileiras de 2014: a influência das pesquisas eleitorais nas estratégias das campanhas digitais. In: Revista Fronteiras, vol. 18, n. 2, mai/ago., 2016.
SAMPAIO, D. Jair Bolsonaro no Facebook: O Marketing Eleitoral Voltado para o Eleitor Conservador. In: XVIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Nordeste. Caruaru/PE, jul. 2016.
SCHREIBER, M. Desde impeachment, popularidade de Moro dispara e rejeição a políticos sobe, diz pesquisa. In: BBC Brasil (on-line), 24 fev. 2017. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese-/brasil-39075521. Acesso em: 19 jan. 2019.
Publicado
2020-05-29
Como Citar
Brittes, J., Carneiro, D. C., & Ruggieri, A. L. (2020). Bolsonaro x Haddad. Compolítica, 10(1), 59-86. https://doi.org/https://doi.org/10.21878/compolitica.2020.10.1.286