A Prefeitura de Florianópolis no Facebook

A comunicação pública das redes sociais

  • Naiza Comel Mestranda do PPGCOM da UFPR
  • Pedro Brodbeck Mestrando PPGCOM da UFPR
  • Claudia Quadros Professora do PPGCOM-UFPR
Palavras-chave: Comunicação Pública; Facebook; Prefeituras.

Resumo

Como fonte de informação para grande parte de seus usuários, o Facebook passa a ter importância também nas estratégias de comunicação de prefeituras. Neste artigo, resgatamos alguns estudos sobre o tema para pesquisar a página da Prefeitura de Florianópolis, identificando conteúdos, formatos e refletindo sobre a interação e a transparência. Capital de Santa Catarina, o município possui 477 mil habitantes, com uma fanpage que tem quase 234 mil seguidores. Com base no conceito de Comunicação Pública e em debates sobre o uso de redes sociais por órgãos públicos, utiliza-se como procedimento metodológico a observação sistemática e a Análise de Conteúdo. Observamos que a rede social é usada como uma espécie de ferramenta de transparência, pois há um esforço para a divulgação das ações governamentais. No entanto, há um número reduzido de posts com links para dar mais detalhes ao cidadão.

Biografia do Autor

Naiza Comel, Mestranda do PPGCOM da UFPR

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Paraná. Bolsista Capes. Integrante do Grupo de Pesquisa em Comunicação, Política e Tecnologia (PONTE).

Pedro Brodbeck, Mestrando PPGCOM da UFPR

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Paraná. Integrante do Grupo de Pesquisa em Comunicação e Participação Política (COMPA).

Claudia Quadros, Professora do PPGCOM-UFPR

Pós-doutora em Comunicação pela Universidade Pompeu Fabra, professora do PPGCOM-UFPR. Líder do grupo de pesquisa COMXXI. 

Referências

ARAÚJO, R. M.; ARAÚJO, M. A. D.; ALLOUFA, J. M. L.; LOPES, A. O. B. Governo eletrônico: um estudo sobre as possibilidades de participação do cidadão. Inf. & Soc. Est., João Pessoa, v. 23, n. 1, p. 73-90, jan./abr.2013.
BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 4ª Ed. São Paulo: Edições 70, 2010.
BAUER, M. Análise de conteúdo clássica: uma revisão. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George (org.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002.
BRANDÃO, E. P. Conceito de comunicação pública. In: DUARTE, Jorge (Org). Comunicação pública: Estado, mercado, sociedade e interesse público. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2009. p. 1-33.
BRASIL é 3ª maior base do Facebook. Meio e Mensagem. São Paulo, 28 fev. 2019.
CASTELLS, M. A Galáxia da Internet: reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.
CATTANI, D. Gestão pública em redes sociais: uma investigação sobre páginas de prefeituras brasileiras no facebook. Prisma.com (Portugual), n. 30, p. 95-109, 2016.
CETIC - Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação no setor público brasileiro - TIC Governo Eletrônico 2017. Disponível em: . Acesso em: 6 mai. 2019.
DUARTE, J. Instrumentos de comunicação pública. In: DUARTE, Jorge. (Org.). Comunicação Pública: Estado, Mercado, Sociedade e Interesse Público. 2 ed. São Paulo: Atlas, p. 59-71, 2009.
__________. Sobre a emergência do(s) conceito(s) de comunicação pública. In: KUNSCH, Margarida M. Krohling (Org.). Comunicação pública, sociedade e cidadania. Difusão, 2011. p. 121-134.
GOMES, W. A democracia digital e o problema da participação civil na decisão política. Revista Fronteiras - estudos midiáticos, v. 7, n. 3, p. 214-222, set./dez. 2005.
HASWANI, M.F. (org). Comunicação governamental: o local como foco de análise. São Paulo: ECA/USP, 2014.
HERSCOVITZ, H. G. Análise de conteúdo em jornalismo. In: LAGO, Cláudia; BENETTI, Marcia (Org). Metodologia de pesquisa em jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2007. p. 123-142.
HOLANDA, A. F. B. Internet como fórum democrático para formação da opinião pública. In: WEBER, Maria Helena; COELHO, Marja Pfeifer; LOCATELLI, Carlos (Org). Comunicação pública e política: Pesquisas e práticas. Florianópolis: Insular, 2017. p. 349-364.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, Estimativa Populacional 2017. Disponível em: . Acesso em: 7 mai. 2019.
KLENK, L. A. Além das capivaras: análise da oferta de conteúdo na página da Prefeitura de Curitiba no Facebook. 2017. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.
KLENK, L.; PRUDENCIO, K. A comunicação das Prefs: considerações preliminares sobre o alcance do Facebook como ferramenta de democracia digital. In: SILVA, Sivaldo Pereira da; BRAGATTO, Rachel Callai; SAMPAIO, Rafael Cardoso (Org). Democracia digital, comunicação política e redes: teoria e prática. Rio de Janeiro: Folio Digital, 2016. P. 313-341.
KOÇOUSKI, M. Comunicação pública: construindo um conceito. Comunicação Pública: direitos de cidadania, fundamentos e práticas. In: MATOS, Heloiza (Org). Comunicação Pública: Interlocuções, interlocutores e perspectivas. São Paulo: ECA/USP, p. 41-57, 2013.
KUNSCH, M. Comunicação Pública: direitos de cidadania, fundamentos e práticas. In: MATOS, H. G. Comunicação Pública: Interlocuções, interlocutores e perspectivas. São Paulo: ECA/USP, 2012. p. 13-29.
LUZ, G. I. Posicionamento e construção de imagem através do Facebook: estudo de caso da Fanpage da Prefeitura Municipal de Curitiba. 2014. Monografia (Comunicação Social – Publicidade e Propaganda) – Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.
MAINIERI, T.; RIBEIRO, E. M. Comunicação pública e mídias sociais: possibilidades e limitações. Estudos em Comunicação, Sociedade e Cultura. n. 6, 2013.
MARQUES, F. P. J. A. Internet e Transparência Política. In: MENDONÇA, R. F.; FILGUEIRAS, F.; PEREIRA, M. A. (Org.). Democracia Digital: Publicidade, Instituições e Confronto Político. 1ed. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2016, v. 1, p. 55-78.
MARTINO, L.; ALEIXO, T. Usos do entretenimento como estratégia de visibilidade política na página da prefeitura de Curitiba no Facebook. Rumores, v. 10, n. 20, p. 68-89, 17 dez. 2016.
MATOS, H. G. A comunicação pública na perspectiva da teoria do reconhecimento. In: KUNSCH, M. M. K. (Org.). Comunicação pública, sociedade e cidadania. São Caetano do Sul: Difusão, p. 39-59, 2011.

MATOS, H. G. A Comunicação Pública no Brasil e na França: desafios conceituais. In: Anais do Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Curitiba: Intercom, 2009.
MEIJER, A. Understanding modern transparency. International Review of Administrative Sciences, v. 75, n. 2, p. 255–269, 2009.
MIOLA, E.; MARQUES, F. P. J. A. Por uma definição de comunicação pública: Tipologias e experiências brasileiras. In: COMPOLÍTICA, Porto Alegre, 2017. Anais do VII Congresso da Compolítica. Porto Alegre, 2017.
PRIMO, A. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. 3 ed. Porto Alegre: Sulina, 2011.
RECUERO, R. A conversação em rede: comunicação mediada pelo computador e redes sociais na Internet. 2 ed. Porto Alegre: Sulina, 2014.
SILVA, A.; DALTRO , E.; SANTOS, E..; OLIVEIRA, J. H. P. Mídias sociais na administração pública: um estudo sobre a utilização do Facebook pelos municípios do Recôncavo do estado da Bahia - Brasil. TMStudies, Faro, v.11, n.2, p.174-181, jul. 2015.
TRAESEL, F. A.; MAIA, N. L. As organizações nas mídias sociais: as estratégias de polidez da Prefeitura de Curitiba no Facebook. Anais do XXXVII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Foz do Iguaçu, PR, 2014.
VALENTE, A. P. de M. A. Transparência e Opacidade: o SIAFI no acesso à informação orçamentária. São Paulo: Annablume, 2004.
ZÉMOR, P. As formas da comunicação pública. In: DUARTE, Jorge. (Org.). Comunicação Pública: Estado, Mercado, Sociedade e Interesse Público. 2 ed. São Paulo: Atlas, p. 214-245, 2009.
Publicado
2021-11-03
Como Citar
Comel, N., Brodbeck, P., & Quadros, C. (2021). A Prefeitura de Florianópolis no Facebook. Compolítica, 11(1), 51-80. https://doi.org/https://doi.org/10.21878/compolitica.2021.11.1.486