ESTRUTURA

Os Congressos da Compolítica são organizados em sessões de Grupos de Trabalho, Mesas-Redondas e Conferências.

Os Grupos de Trabalhos (GTs) acolhem e discutem, em profundidade, entre oito e dez trabalhos, e têm a duração de um dia. São espaços para apresentação de pesquisas em estágio mais avançado, embora possam contar com a assistência de um público mais amplo. Os trabalhos discutidos em cada GT são selecionados pelos seus respectivos coordenadores.

A Conferência é realizada por pesquisador convidado pela Comissão Científica. O congresso normalmente se compõe de uma conferência de abertura, realizada por um renomado pesquisador na comunidade internacional. As mesas-redondas têm duração de uma hora e meia e são compostas por três pesquisadores e um coordenador, a convite da Comissão Científica.

ANAIS DA cOMPOLÍTICA

Grupos de Trabalho

ww
Comunicação e democracia
Coordenadora: Regiane Garcêz (UFMG)
Vice-coordenador: Samuel Barros (UFRB)

Acolhe trabalhos sobre Comunicação e Democracia em que questões contemporâneas da democracia sejam centrais, incluindo discussões teóricas e epistemológicas acerca dos conceitos de Democracia na sua interface com a Comunicação; estudos sobre representação política, processos de accountability, esfera pública, emergência de novos atores políticos; deliberação e discussão públicas; democracia digital; crise da democracia, politização e despolitização; conservadorismo, extremismos políticos, populismo, autoritarismo e violência política, e outros fenômenos que articulem questões de comunicação e a experiência democrática de nossos dias.
Comunicação e Justiça
Coordenação: Grazielle Albuquerque (Núcleo de Estudos e Pesquisas da Defensoria Pública-CE)
Vice-coordenação: Cláudia Lemos (CEFOR)

O Grupo de Trabalho Comunicação e Justiça tem como objetivo fomentar a produção acadêmica e o debate a respeito da comunicação do Sistema de Justiça e sobre ele, incluindo o Poder Judiciário e as instituições que compõem as funções essenciais à Justiça, tais como Ministério Público e Defensoria Pública, Polícia Judiciária e Advocacia Pública e Privada. A proposta tem como âncora a perspectiva de que a atuação de tais instituições e o próprio debate em torno da mobilização do Direito ocorre sob a chave da disputa política. Dessa maneira, interessam ao GT pesquisas sobre a relação entre a opinião pública e as cortes – incluindo aspectos da confiança pública; direitos humanos, liberdade de expressão e imagem institucional. Interessam ainda estudos sobre a forma como as instituições do Sistema de Justiça se comunicam e são cobertas pela imprensa.
Comunicação e sociedade civil
Coordenação: Ana Carolina Vimieiro (UFMG)
Vice-coordenação: Leandro Lage (UFPA)

Acolhe trabalhos de natureza teórica e empírica que contemplem a interface entre comunicação e sociedade civil. Entre as múltiplas dimensões dessa interface, convém citar: a) ações coletivas e visibilidade midiática; b) enquadramentos, representações e imaginários sociais; c) identidade, reconhecimento e comunicação; d) ativismo midiático e comunicação comunitária; e) ativismo digital; f) participação política e mobilização social; g) esfera pública e processos deliberativos; h) representação política e sociedade civil; i) conversação cotidiana e engajamento cívico; j) afetos e emoções na política; k) criatividade, estética e política.
Comunicação Pública e Institucional
Coordenação: Carlos Locatelli (UFSC)
Vice-coordenação: Rudimar Baldissera (UFRGS)

Tem por objetivo discutir trabalhos que exploram as distintas formas de comunicação pública, entendida como a comunicação voltada para o interesse público. Inclui portanto a comunicação produzida por instituições estatais, órgãos governamentais, organizações do mercado, da sociedade civil, da mídia tradicional e nas redes sociais em torno de temas de interesse público e em situações empíricas e teóricas que afetem de forma coletiva a sociedade. Abordagem de temas relacionados a sistemas e políticas de comunicação, bem como projetos, estratégias e práticas de comunicação institucional. Estudo das relações entre Estado, meios de comunicação massivos, mídias, redes digitais e sociedade. Abordagens teóricas e históricas sobre o poder da comunicação, da informação, da propaganda, da opinião pública e da imagem pública em regimes democráticos e autoritários.
Cultura política, comportamento e opinião pública
Coordenação: Emerson Cervi (UFPR)
Vice-coordenação: Felipe Borba (UNIRIO)

Acolhe trabalhos voltados para os seguintes temas: a) identificação de conhecimentos, valores e crenças que influenciam o comportamento político dos diversos atores na democracia (cidadãos, eleitores, políticos, partidos entre outros), b) análise dos determinantes do voto, c) estudo das percepções da opinião pública sobre os temas em debate e sua fundamentação, d) a importância da mídia em todos estes processos, e) como os ambientes comunicacionais interferem no campo da política. Buscam-se diferentes ângulos de aproximação – teóricos e metodológicos – dos temas sob análise.
Eleições e Práticas de Comunicação
Coordenação: Michele Massuchin (UFPR)
Vice-coordenação: Carolina Almeida de Paula (IESP-UERJ)

Este GT acolhe pesquisas que abordam distintas práticas comunicacionais que atravessam os processos eleitorais nos mais diversos aspectos. Busca-se dar espaço para as diversas formas de comunicação que circundam as eleições, tanto no que diz respeito à informação inerente às campanhas quanto àquela produzida por agentes do campo jornalístico. O GT, agrega, portanto, discussões que objetivam compreender a relação entre mídia e processos eleitorais. Dentre os eixos e objetos que constituem essa relação, destacamos: a) cobertura jornalística das eleições; b) propaganda eleitoral e HGPE; c) desinformação eleitoral; d) mídias alternativas em cenário eleitoral; e) campanhas digitais; f) campanha permanente e eleitoral. Há interesse também por trabalhos que proponham novas abordagens metodológicas, tanto de viés quantitativo quanto qualitativo, além de pesquisas comparadas e que investiguem distintos cenários – locais, regionais e nacionais.
Fenômenos e Práticas da Política Online
Coordenação: Camilo Aggio (UFMG)
Vice-coordenação: Arthur Ituassu (PUC-Rio)

O grupo de trabalho tem o propósito de acolher estudos teóricos e empíricos que considerem as múltiplas linhas de interação entre ambientes, recursos, ferramentas, práticas e iniciativas baseadas em tecnologias digitais de comunicação tanto em maior proximidade com a política institucional quanto em relação àquelas mais específicas da esfera da cidadania. Desse modo, o GT pretende acolher trabalhos que tratem de: (a) Práticas de comunicação política digital (automação; datificação; segmentação; Big Data; inteligência artificial etc.); (b) Partidos políticos e ambientes digitais (organização; mobilização; financiamento etc.); (c) Representações políticas em ambientes digitais (formas, processos e práticas online de representação política eleitoral e não-eleitoral); (d) Usos, práticas e significados de memes na política (representações imagéticas; humor político; gamificação; campanhas negativas);(e) Estudos de rede, cartografia digital; (f) Populismo político e redes digitais (lógicas digitais, affordances, arquiteturas, práticas e linguagens que propiciam a manifestação do populismo em ambientes online); (g) Conversação, discussão e conflitos políticos online (relações entre lógicas e estruturas de plataformas online nas interações sociais digitais e políticas, especificidades das discussões políticas em ambientes digitais, formações e desenvolvimento de conflitos políticos sob a lógica de estruturas online); (h) Produção, circulação e distribuição de informação política em ambientes digitais (fake news, desinformação, misinformation, partisan media, novas fontes; leques de mídias digitais, agregadores, funcionamento de algoritmos, jornalismo político e tecnologia).
Governo e Parlamento Digital
Coordenação:Cristiane Brum Bernardes (CEFOR)
Vice-coordenação: Maria Paula Almada (UFBA)

O GT Governo e Parlamento Digital objetiva fomentar discussões acerca da abertura, transparência, engajamento, participação e deliberação política nos diferentes ramos do Estado por meio das possibilidades do ambiente online. O foco está no fomento de pesquisas que investigam de que maneira as iniciativas institucionais e sociais se apropriam e fazem uso das tecnologias de comunicação e informação digitais para a democratização dos Poderes Executivo e Legislativo, especialmente, e de suas estruturas, burocracias e funcionamento interno dos diferentes órgãos com vistas à ampliação da influência dos cidadãos nos processos decisórios e deliberativos. Assim, interessam a este GT contribuições teóricas, metodológicas e estudos de caso que abordam dimensões relativas à e-transparência, e-participação, e-cidadania, e-democracia, accountability e representação, governo eletrônico, governo e parlamento aberto, dados abertos governamentais, governança da internet, big data e monitoramento.
ii
Jornalismo político
Coordenação: Kelly Prudêncio (UFPR)
Vice-coordenação: Camila Quesada Tavares (UFMA)

O GT compreende a discussão de pesquisas sobre a relação entre o jornalismo e os processos políticos nas sociedades contemporâneas. Contempla estudos sobre coberturas jornalísticas da política (nos níveis local, regional, nacional e internacional), do ponto de vista da produção, circulação e consumo; o caráter institucional do jornalismo nas democracias; o papel do jornalismo como ator político e, nessa direção, as conjunções entre crise política e crise do jornalismo, escândalos políticos, paralelismo político e cobertura eleitoral. Também são de interesse deste grupo de trabalho estudos comparados, considerando diferentes contextos e sistemas midiáticos, e sobre o fenômeno das fake news, da desinformação e o surgimento e desenvolvimento de agências de checagem de notícias, associada à discussão política.
Mídia, gênero e raça
Coordenação: Viviane Gonçalves Freitas (UFMG)
Vice-coordenação: Lucy Oliveira (UFSCAR)

Este grupo de trabalho contempla pesquisas de natureza teórica e empírica sobre Mídia, Gênero e Raça, incluindo abordagens que tratem de questões territoriais e de classe, e voltadas para a análise da comunicação de múltiplas/os atrizes e atores políticas/os. Assim, acolheremos artigos que versem sobre: (a) cobertura jornalística sobre gênero e/ou raça; (b) imprensa feminista e/ou negra, em diversos momentos históricos; (c) comunicação de agentes públicos sobre gênero e/ou raça; (d) iniciativas comunicacionais online de resistência feminista e/ou negra; (e) atuação de mulheres e homens (negras/os e não-negras/os) como profissionais da comunicação; (f) a cobertura sobre gênero e/ou raça inserida na política institucional e em movimentos sociais; (g) o imaginário sobre feministas e/ou ativistas negras/os; (h) masculinidades e mídia; (i) a publicidade e o debate sobre gênero e raça.
Políticas e Governança da Comunicação
Coordenação: Juliano Mendonça Domingues da Silva (Unicap)
Vice-coordenação:Paulo Victor Melo (UFS)

Está voltado à investigação da relação entre políticas de comunicação, cultura e informação e qualidade da democracia, especialmente, pesquisas sobre: a) políticas públicas e processos de regulação de recursos comunicacionais; b) aspectos éticos, econômicos, políticos e legais da gestão de dados e circulação de informação em plataformas midiáticas; c) interação entre Estado e atores privados (sociedade civil e mercado) em processos decisórios de concepção, implementação e controle das políticas de comunicação e) privacidade, proteção de dados pessoais e vigilância na indústria de mídia; f) democratização da comunicação, direito à comunicação, liberdade de expressão; g) políticas de transparência, Dados Abertos nas organizações e acesso à informação. ; h) governança algorítmica e governança da Internet.; i) desenvolvimento e aplicação de teorias, métodos e técnicas voltados à análise de fenômenos que abarquem o escopo temático do grupo.
Propaganda e Comunicação Eleitoral
Coordenação: Luciana Panke (UFPR)
Vice-coordenação: Aryovaldo de Castro Azevedo Junior (UFPR)

O Grupo de Propaganda e Comunicação Eleitoral aceita pesquisas que abordem a temática da publicidade e propaganda aplicada à comunicação político-eleitoral, com especial ênfase na construção e projeção de imagens públicas no desenvolvimento de comunicação promocional em períodos eleitorais e os canais de relacionamento entre atores políticos (candidatos, lideranças, partidos, organizações e corporações) com finalidade de consolidação de posicionamento junto à cidadania. Engloba as pesquisas nos eixos: a) história da propaganda política e eleitoral; b) publicidade eleitoral multimídia; c) propaganda política, marca e campanha permanente; d) comunicação integrada aplicada a política e eleições; f) propaganda eleitoral internacional; g) atores sociais e processos eleitorais; h) política e gênero; i) violência política nas eleições; j) análise de discursos político-eleitorais; l) regulamentação publicitária e eleitoral.
Lista de Discussão

    Endereço

    Rua São Francisco Xavier, 524
    10º andar – Bloco F – Sala 10.121
    Maracanã – Rio de Janeiro/RJ

    contatos

    secretaria@compolitica.org
    www.compolitica.org

    expediente

    Rodrigo Carreiro (UFBA)